Colaboradores

Rosane Luchtenberg:

Popularmente conhecida como Rô do Engenho, acompanhou, em 1992, seu companheiro matrimonial, e firmou morada por aqui. Recém chegados de Blumenau construíram uma pousada e ali iniciaram um movimento turístico na comunidade. Na qualidade de empresária, sentiu necessidade de compartilhar com seus hóspedes e conhecidos, curiosidades sobre a cultura local. Seu envolvimento com as histórias daqui assumiu tamanha força, que os singelos relatos verbais a contagiaram e a levaram atuar no campo da pesquisa empírica. O que inicialmente veio pela mão da história, deflagrou-se num misto de fragmentos contados, escutados, fotografados, anotados e gravados, que com o passar dos anos ganharam o formato de uma espécie de bricolagem; e o que começou pelo viés de uma necessidade individual, ganhou o volume de uma vontade coletiva. Autodidata buscou por conta própria capacitação na área de Museus e Patrimônio Público. Dessa imersão cultural, surgiu a coragem de aquisição de um engenho de farinha centenário, que resultou na criação do Instituto Boimamão, em 1998, o qual ganhou significação nos corações bombinenses, que por sua vez, não somente endossaram o gesto, mas incentivaram a mentora do ato de compra, para que ali também fosse implantado um espaço de cultura, e mais uma vez, encorajaram os ideais da Rô do Engenho, que institucionalizou, nesse mesmo local o Museu Comunitário Engenho do Sertão/Ponto de Cultura, atual Ponto de Memória. Seu protagonismo e dedicação por 23 intensos anos, à cultura e a tradição de Bombinhas, à frente do Instituto Boimamão, rendeu-lhe, em março de 2020, a placa de honraria, relativa à “Moção de Aplauso”, da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina. A destemida mulher, carinhosamente citada como Rô do Engenho, desfruta dos sonhos plantados e colhidos e vive a vida cercada da magnitude da obra construída coletivamente, pois na individualidade familiar, além dos colaboradores assíduos, parentes queridos e os amigos do peito, conta com o apoio do filho Rafael (45), seu maior incentivador, que lhe deu uma neta, Lara (10), o “colar de pérolas” para seu seio de afetuosa amiga-parceira-mãe-avó.

Aline Lúcia Vieira:

É bióloga, musicista, cineasta, produtora cultural e arte-educadora. Iniciou suas atividades no Instituto Boimamão em 2007. Atua na Escola da Terra, coordena o projeto Alecrim Dourado, produz eventos culturais no Engenho do Sertão, dentre outras atividades.

Maria Inês Dorneles do Amaral:

Acompanha a fundadora Rô e a Instituição desde a sua criação, em 1998. Inês é jornalista e professora na Rede Municipal de Ensino de Bombinhas. Atualmente coordena programas e projetos educativos, na Secretaria Municipal de Educação. Na qualidade de amiga do Museu, colabora com as publicações literárias do Instituto Boimamão, por meio da edição, revisão e adequação pedagógica de textos.

Pedro Paulo Dutra:

Estudante e assistente de informática na organização desde 2018. Nasceu no espaço do Museu Comunitário, tornou-se afilhado da Rô do Engenho, hoje assessora a gestora nos projetos e mídias digitais.

Yolanda Flores e Silva:

Antropóloga e Enfermeira, da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) e amiga do Museu desde 2012. Atua no museu com palestras a pedido do Instituto BoiMamão ou para ações relacionadas a projetos de ensino, pesquisa e extensão com alunos da graduação e pós-graduação dos cursos de Turismo, Gastronomia, Saúde e História.

Daniel Balbinotte:

Zelador do Museu, responsável pela jardinagem e produção de mudas do NAPO (Núcleo agrícola de produção orgânica) da instituição. É contratado pelo Instituto Boimamão, desde 2010. Técnico agrícola, instrutor nas visitas guiadas sobre agroecologia e oficinas de apoio a educação ambiental.

Mari Pedro

Marilete Pedro:

Assistente da administração nas ferramentas de internet desde muito jovem. Nos últimos 15 anos, acompanha a evolução das mídias digitais da OSC e atualmente está finalizando o curso de Comércio Exterior. Segue como assessora financeira e ocupa o cargo de primeira tesoureira na diretoria executiva da organização.

Rosane Fritsch:

Assistente geral da organização desde 2005. Quituteira e instrutora das oficinas de gastronomia, coordena os eventos sócio culturais, as oficinas práticas do Ponto de Cultura Escola da Terra e integra o Conselho Consultivo do Instituto Boimamão.

Jadir Nadiel Coelho:

É artesão e funcionário público cedido para o Museu Comunitário Engenho do Sertão. Ocupa o cargo de 1° Secretário na organização desde 2014 e é responsável pelo patrimônio edificado do Museu. Restaurador e instrutor das oficinas de marcenaria para jovens em processo de medidas protetivas (Prestação de Serviço Comunitário) encaminhados pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Bombinhas.

Patrícia Estivallet:

Pesquisadora das artes manuais e da cultura popular, é licenciada em Artes Visuais e colaboradora na instituição desde 2003. Ceramista, artesã e bonequeira, atua como arte educadora nas oficinas práticas da Escola da Terra Engenho do Sertão.

Sandro Luchtenberg:

Guardião da instituição desde 2008, é assistente nas Oficinas da Marcenaria e do Horto na produção de mudas, artesão, pintor e cozinheiro da equipe permanente. Nano, como é conhecido, acompanha as tarefas diárias da diretoria junto com a irmã Rô do Engenho.

DIRETORIA EXECUTIVA

Rosane Luchtenberg

Presidente

Victória Namestnikov El Murr

Vice-Presidente

Jadir Nadiel Coelho

Primeiro Secretário

Edna Márcia de Miranda

Segunda Secretária

Marilete Pedro

Primeira Tesoureira

Luciana Bley de Noronha

Segunda Tesoureira

CONSELHO FISCAL

Alcedir do Espírito Santo

Alessandra Martins Vicente

Fernanda Nadir da Silva

Nádia Namestnikov El Murr

Marilete PedroSandro Luchtenberg

Vera Eli Pires

CONSELHO CONSULTIVO

Adauto Saturnino Januário

José Luiz Pinto da Silva

Nilda Odete da Silva

Rosane Fritsch

Maria Julia Emilio

Instituto Boimamão © 2020. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: Lupus Estúdio.